Mudei de ideias em relação aos TPC

Agora que começou a escola e se fala em TPC, também tenho qualquer coisa a dizer sobre isto.

Normalmente tenho uma opinião sobre tudo. Uma opinião fácil, que nem sempre é baseada em conhecimento concreto mas tento que seja baseada na razão.

Sempre achei que seria contra os TPC. Mais que isso, sempre afirmei que era contra os TPC.
As minhas filhas ainda são pequenas, tem 1 e 3 anos, mas já sinto que o tempo é pouco com elas, mesmo sem TPC. Por isso não encaro com simpatia um extra que me venha “roubar” tempo de qualidade com as minhas filhas.

Sei que vai chegar uma altura em que os estudos terão uma importância muito grande nas suas vidas e espero que essa altura chegue por volta do 10º ano, não antes. Quando falo de uma importância grande imagino várias horas de estudo “extra escola”, uma ou duas por dia, talvez. E espero que as minhas filhas não precisem de dedicar mais duas horas por dia ao estudo antes do 10º ano.

Até lá têm mais é que brincar, fazer coisas de que gostem muito (oxalá também gostem de estudar), aprender outras coisas que são tão importantes como o que se aprende na escola. Devem usar o bem precioso que é o tempo, para fazer livremente tudo aquilo que, depois de adultos, se torna quase um luxo: estar com os amigos, usar muito a imaginação, ler, passear muito, correr, sonhar acordado, tirar tempo para não fazer nada, experimentar atividades diferentes, aprender música, aprender a pintar, aprender línguas diferentes só porque sim, fazer desportos diferentes, criar clubes, inventar coisas, fazer uma banda, escrever num jornal infantil, desenhar, ver filmes, aprender a cozinhar só pelo prazer e pela diversão de o fazer.

Por isso sempre fui contra os TPC.

Mas mudei de ideias.

A falar com uma amiga, que é a favor dos TPC, constatei coisas em que nunca tinha pensado antes.

Os TPC são uma excelente forma de acompanharmos o percurso escolar dos nossos filhos e perceber que tipo de dificuldades têm.

Claro que pais interessados e presentes irão sempre acompanhar o percurso escolar dos filhos: saberão o que estão a aprender e quais as dificuldades e preferências das crianças. Todavia sem TPC esta “supervisão” torna-se muito mais complicada, mais trabalhosa. É preciso ir procurar, ir ler, é preciso um esforço que pode levar mais tempo do que supervisionar os TPC da criança.

E se os pais não forem muito interessados ou não conseguirem gerir bem o seu tempo, a ausência de TPC pode levar a que percam completamente “o norte” ao percurso escolar dos filhos.

Bom, isto é uma opinião muito subjetiva. Vejo, agora, claramente, que os TPC podem ser-me muito úteis e poupar-me algum trabalho de pesquisa (que farei na mesma, mas em menor quantidade) e dar-me uma ideia clara da situação escolar das minhas filhas.

É evidente que espero TPC razoáveis, que não me tirem tempo de qualidade com as minhas filhas para fazer coisas escolhidas por nós.

Posto isto, encaro os trabalhos de casa com alguma simpatia.

 

Nova Na Cidade

Ser sempre nova na cidade e a cidade ser nova para mim podia ser um estado de espírito. O que me define. G
osto de mudança, de novidade, de frescura.
A minha casa é a minha família. Todas as outras coisas podem ir mudando regularmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *