Avós, posso dar-vos alguns conselhos?

Avós (e avôs), sei que gostarão dos vossos netos como dos vossos filhos e, às vezes, o vosso amor é tão flagrante que nos comove.

Mas, creio que posso dar-vos uns pequenos e despretensiosos conselhos que podem ajudar-vos a manter uma relação equilibrada e pacifica com os vossos filhos e filhas ou genros e noras.

Quando os vossos netos nascerem:

– Se tiverem disponibilidade de tempo ofereçam a vossa ajuda. Todavia tenham especial paciência com as mães.

–  Se elas amamentam e estão com dificuldades, não lhes digam logo que estão a fazer tudo errado, que estão a amamentar mal, que a criança está com fome, que o leite é fraco, ou insuficiente. Ofereçam-lhes, antes, ajuda. Antes de dizerem o que quer que seja, perguntem-lhes o que sentem, o que desejam e o que querem fazer. Eu sei que se preocupam com os vossos netos mas ninguém os ama mais do que as suas mães e é delas que eles dependem. Ajudem as mães e estão a ajudar os vossos netos.

– Se elas optam por não amamentar, não lhes digam que estão a fazer mal, que deviam amamentar para serem melhores mães. O corpo é delas, a decisão é delas, e uma mãe stressada, deprimida e irritada, seja pelo que for, não é uma mãe melhor do que uma mãe que não amamenta mas dá todo o seu amor ao bebé, enquanto o alimenta com um biberão. Não é, nem nunca vai ser, a amamentação que define uma mãe, assim como não é o parto, ou a religião, ou a forma como se veste.

– Se quiserem mesmo ajudar nos primeiros tempos, levem comida. Uma panela de sopa, um cestinho de fruta, uma refeição para dois ou três dias ajuda tanto…

– Se não forem convidados, não passem todos os dias na casa dos pais, todas as horas. Se forem, vão e ajudem no que puderem. Mas não levem as tias, as primas e as vizinhas com vocês.

– Não publiquem fotos das crianças nas redes sociais sem perguntar aos pais, primeiro, se eles estão de acordo.

– Não pressionem os pais para batizar as crianças, ou para casarem, ou para furarem as orelhas das meninas. Apenas… não façam isso.

Quando os netos estiverem um bocadinho mais crescidos:

– Não lhes ofereçam para comer coisas que sabem que os pais não apreciam. Se calhar os pais exageram. Se calhar são chatos e radicais demais. Mesmo assim, não lhes ofereçam chocolates, rebuçados, chupa-chupas bolachas com creme. Mesmo que achem que as crianças querem muito. Mesmo que não acreditem nos malefícios do açúcar, apesar dos especialistas em saúde o desaconselharem, joguem pelo seguro. Poucas coisas irritam mais ou pais (bastante preocupados com a alimentação) do que ver alguém a dar aos seus filhos algo que eles acreditam que prejudica a sua saúde.

– Nunca lhes digam para esconder coisas dos pais, ou para mentirem. Acho que não preciso de dizer porquê.

Vocês avós, são imprescindíveis e quem vos tem, tem muita sorte.

Avós têm uma paciência que os pais não têm.
Os avós têm uma doçura e uma serenidade que os pais ainda não conseguem ter.
Os avós têm sempre uma surpresa para os netos, uma forma de abrilhantar o seu dia, de lhes arrancar sorrisos e de os deixar cheios de saudades.
Sou uma felizarda por as minhas filhas terem avós. Avós que gostam tanto delas. Avós de quem elas tanto gostam e que as fazem tão felizes.

Nova Na Cidade

Ser sempre nova na cidade e a cidade ser nova para mim podia ser um estado de espírito. O que me define. G
osto de mudança, de novidade, de frescura.
A minha casa é a minha família. Todas as outras coisas podem ir mudando regularmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *